As Fronteiras da Língua

Updated: Sep 2, 2021


No inglês todo mundo começa pelo bom e velho "The book is on the table". Mas o que vem depois disso? Certamente uma das maiores preocupações que envolvem um intercâmbio é lidar com a nova língua. O sotaque, as expressões, as marcas linguísticas, o vocabulário dentre outros mais, são temores que os viajantes levam como excedente na bagagem ao embarcar. O desafio já inicia-se na imigração do destino e pode ser que os seus 4 anos de "escolinha de inglês" fujam pra debaixo do tapete quando você mais precisar. A dica é: seja espontâneo. Se liga nas palavras-chave - afinal quem não identifica um place, time, study ? - e, principalmente, esteja atento aos where, why, what, when. Se você definitivamente não identificar nada que se aproxime do seu vocabulário, não hesite em utilizar a frase a qual você mais vai recorrer na viagem:repeat please ? E vai ser exatamente assim que vão identificar ainda melhor que você realmente está indo desenvolver seu inglês. Essa primeira oportunidade é realmente pra você se arriscar, porém não se preocupe em surpreender ninguém; a prioridade não é comunicar, é informar! Passada a tensão da imigração, é hora de arregaçar as mangas e partir pra comunicação. Se você era introspectivo ou tímido, isso ficou no seu país de origem, certo? A ordem é conversar, conversar, conversar. No início vai parecer que voltou ao jardim de infância e, se parar pra pensar, você realmente está ingressando no novo mundo de um novo idioma. Converse com todo mundo. Perguntas básicas são ótimas, mas, cuidado: nunca estacione em respostas resumidas em yes ou no. Se mostre curioso e sempre que possível atencioso também, principalmente entre colegas de classe. Pergunte mais. Vá a fundo e não hesite em querer saber detalhes, mas também seja receptivo quando alguém fizer perguntas demais. Essa é a sua oportunidade de conhecer outras culturas, portanto descrições e explicações, além de agregarem ao seu vocabulário, te fazem conhecer o mundo do outro sob um novo olhar. Dê um tempo ao dicionário, agora ele é só pra emergências. Caso não conheça alguma expressão ou palavra específica, peça que expliquem pra você. Gestos, estabelecimento de relações, comparações, use todas ferramentas possíveis. E, claro, também tenha a paciência para ensinar quando for preciso. Em relação aos seus conterrâneos, não precisa manter tanta distância quanto dizem por aí. É muito bom estar envolvido com alguns brasileirinhos pra fazer aquele prato que só a gente sabe fazer e pra ajudar na hora dos apuros. Mas esses relacionamentos podem sim te ajudar invés de atrapalhar com o aprendizado do inglês. Por exemplo, procurem ter sempre algum estrangeiro por perto, aproveitem pra explicar seus costumes à ele. Ou separe uma noite pra desafiarem um ao outro a não falarem o português, quem falar paga prenda. Vá a supermercados e leia as embalagens estabelecendo relações com os produtos brasileiros, vá ao restaurante e não use o Google Tradutor só pra ver quem pede o prato mais estranho. Vai ser divertido e no final das contas vocês vão aprender juntos. Talvez aqui esteja a dica mais importante: viva o inglês. Tente se virar com o que tem, e o que você tem pra se comunicar é o inglês. Configure seus dispositivos eletrônicos e redes sociais para o novo idioma, assista bastante TV e sem legenda, desafie-se a conseguir mesmo que o percurso seja longo. Escute músicas, começando pelas mais simples e até mesmo infantis e desenvolva ao longo do tempo. Leia pequenos contos e perceba a dificuldade ou facilidade que isso envolveu pra você. Divirta-se nesse processo e não se preocupe em errar. Todos vão tem problemas com tempos verbais e isso não significa que irão entender você errado. A maioria vai confundir do e does e mesmo assim vão te responder em relação a pessoa certa. A única comparação não permitida é entre inglês e português, aprenda que nem sempre há paralelismo entre eles. Tente esquecer que existe tradução também. Ela com certeza não irá facilitar, como parece. Aceite que cada um, acima de tudo, tem o seu próprio tempo e sua própria maneira de aprender. Então procure a sua, descubra os meios que desmarcaram o inglês pra você. Mas não tire conclusões antes de tentar de tudo. Talvez o que funciona pro outro não funciona pra você e vice-versa. Expulse o fantasma da nova língua e seja, finalmente, bem vindo à fluência. Stéfany Freu



2 views0 comments

Recent Posts

See All